ACON T ECEU
|| Home | Assuntos | Contato ||

Descobrimento do Brasil - Portugal 22/04/1500 Quarta-feira

descobrimento do brasil O Brasil foi descoberto por causa de uma revolução que começou uns trezentos anos de Cabral nascer. Teve como protagonistas centrais comerciantes, artesãos e banqueiros. O sistema feudal, predominantemente rural, tinha tirado das cidades a função de núcleos comerciais. Mas Veneza, Amalfi, Gênova e Nápoles puderam continuar, pela via marítima, o processo de trocas, principalmente com a antiga capital do Império Romano do Oriente, Bizâncio, então chamada Constantinopla. O comércio fez crescer as cidades, o crescimento das cidades reforçou a importância do comércio. E também o papel das cidades do norte da Itália, de onde partiam caravanas de mercadores rumo à Europa Central, chegando ao mar do Norte e ao Báltico, onde outras cidades, geralmente portuárias, se encarregavam de continuar a distribuir os produtos recebidos.

Formavam-se assim dois eixos: no sul da Europa, os italianos monopolizavam o comércio com o Oriente, de onde traziam as tão apreciadas especiarias. Na Europa central e setentrional, mandava a Liga Hanseática – associação econômica e política das cidades do norte da Alemanha, rainha dos mares norte-europeus desde o século XIII.

caravelas Portugal e Espanha não participavam dessa revolução comercial e, quando os turcos tomaram Constantinopla, em 1453, o bloqueio ficou completo. Só havia uma saída: contornar os obstáculos descobrindo novos caminhos para o Oriente e fixando novos centros de comércio. Isto levaria a uma baixa do preço das especiarias no mercado europeu e a Península Ibérica poderia, por fim, entrar na dança das relações comerciais em passo de igualdade.

Março de 1500. Portugal e Espanha dominam os mares. Em Lisboa forma-se a mais aparatosa das frotas que já haviam deixado Portugal com destino a Calecute, nas Índias, com o objetivo de consolidar a influência da coroa de D. Manuel.Para evitar as calmarias, “a expedição” toma o rumo sudoeste, bem longe da costa africana e chega por fim à terra que hoje é Brasil. Pedro Álvares Cabral comandava a frota de 13 navios e entre a tripulação encontrava-se Bartolomeu Dias, experiente navegador que dobrara pela primeira vez o Cabo das Tormentas, no extremo do continente africano.

Pedro Alvares Cabral Finalmente, em 21 de abril de 1500 (Terça-feira), surgem sinais de terra: muita quantidade de ervas compridas, a que os mareantes chamavam botelho, ou rabo-de-asno. No dia seguinte, pela manhã, outro indício de terra próxima: aves fura-buxos, como reportara Pero Vaz de Caminha, escrivão da expedição, que entrando em detalhes, fala primeiramente de “um grande monte, mui alto e redondo”, que Cabral logo chamou de Monte Pascoal, pois estavam na páscoa.
No dia 23, o comandante Nicolau Coelho desceu a terra e fez os primeiros contatos com os índios, que já o esperavam. Depois da troca de presentes, pois não houve luta, foram convidados para subirem a bordo. Os portugueses gostaram de entender que naquelas terras havia muito ouro e prata e isso era um bom motivo para continuar os contatos com os indígenas.

No dia seguinte, Cabral devolve os índios à terra, acompanhados por Nicolau Coelho e mais alguns homens, para que vissem como era a vida entre os habitantes de Vera Cruz. Cabral tivera o cuidado de presenteá-los, certo de que a “generosidade” causaria boa impressão entre os demais membros da tribo.

caravela no brasil Depois de alguns dias, Cabral decide prosseguir viagem e manda um navio levar ao rei a notícia da descoberta e o resto da expedição segue seu caminho rumo às Índias. Nem os navegantes nem o rei puderam ter idéia exata do grande mundo novo descoberto. Tanto assim, que por muitos anos deixaram o país como possessão secundária: dela extraíam madeira e alguns outros produtos. Só depois de algum tempo – e diante do interesse concorrente de outras nações – é que resolveram implantar uma colonização definitiva, baseada, sobretudo na cultura da cana e na produção de açúcar. Essa atividade gerou o primeiro grande núcleo de povoamento no litoral nordeste.





<< anterior próxima >>