ACON T ECEU
|| Home | Assuntos | Contato ||

Jesus Cristo - Judéia 04 a 06 a.C. 07/04/0030 Sexta-feira

O nascimento de Cristo

Jesus Cristo Foi Dionísio Exíguo, monge que viveu no século VI d.C. que atribuiu o começo da era cristã a 1º de janeiro do ano 1 d.C. Era o quadragésimo sexto ano do calendário reformado de Júlio César , e o ano 754 da fundação de Roma. Ele quis com isso, fazer valer a tradição de que Cristo teria nascido em 25 de dezembro do ano 1 a.C. Em Lucas 2:1,2 está escrito que o nascimento de Jesus teve lugar em Belém e que José e Maria teriam ido ali para se alistarem quando do recenseamento romano.


Os recenseamentos eram feitos a cada quatorze anos e se foi seguido um padrão, um deles pode ter ocorrido em 8 a.C.; mas como a tarefa de organizar o recenseamento levava um certo tempo para se concretizar nas províncias mais distantes, pode-se dizer que tenha ocorrido naquela região um ou dois anos mais tarde.
Se Herodes faleceu no ano 4 a.C., portanto, Jesus nasceu antes desta data, pois em Mateus 2:16 está também escrito: “Vendo-se iludido pelos magos, enfureceu-se Herodes grandemente, e mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, conforme o tempo do qual com precisão se informara dos magos.” Logo, Jesus nasceu depois do ano 4 a.C. e antes do ano 6 a.C.

virgem Maria Em Lucas 1:26 está escrito: “no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado, da parte de Deus, para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava Maria”. Ora, o sexto mês é o mês Elul do calendário religioso, correspondente também aos meses de agosto e setembro do calendário juliano/gregoriano. Levando-se em conta o tempo de gestação de 38 semanas, chegamos enfim a uma data aproximada do nascimento de Cristo, que seria o mês Sivã, entre os meses de maio e junho. Isso se reforça pelos registros de Lucas 2:8 “havia naquela mesma região, pastores que viviam nos campos e guardavam os seus rebanhos durante as vigílias da noite”. Como sabemos, é quase começo de verão no hemisfério norte nos meses de maio e junho e, portanto, com noites não tão frias como seriam se fosse no mês de dezembro e pastor nenhum ficaria ao relento ou deixaria também o seu rebanho.

 

O ministério de Jesus

Jesus Cristo Lucas nos prestou a seguinte informação a esse respeito quando escreveu: “3:1 – no décimo-quinto ano do reinado de Tibério César (imperador romano), sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia...” João Batista está pregando perto do rio Jordão e batiza Jesus. Se Tibério reinou entre os anos 14 a 37 d.C, logo, Jesus foi batizado no ano 29 d.C. Entretanto, a maioria dos cronologistas, acredita que Lucas se referia ao tempo em que Tibério tornou-se co-imperador com Augusto, o que sucedeu em 11 d.C. Se esta informação é exata, então Jesus teria sido batizado em 26 d.C. e estaria conforme Lucas 3:23 com cerca de trinta anos. Sabe-se, porém, que na sociedade judaica, os homens não ocupavam posições de liderança enquanto não chegavam aos trinta anos de idade, o que significa que Jesus, na realidade, tinha um pouco mais de trinta anos ao dar início ao seu ministério.

Os intérpretes procuram calcular a duração do ministério do Senhor observando quais e quantos feriados religiosos são mencionados nos evangelhos. Mas, logo surge o primeiro problema quando se considera que o evangelho de João menciona várias dessas festas religiosas que não figuram nos evangelhos sinópticos. Já em João 6:4 Jesus Cristo encontramos uma páscoa que não figura nas narrativas sinópticas.
Alguns eruditos textuais supõem que isso representa uma adição escribal ao evangelho de João, embora não haja qualquer evidência em favor disso, nos manuscritos. Outros eruditos opinam que os informes de João sobre festividades não indicam qualquer cronologia, visto que o quarto evangelho não é ordenado em forma cronológica. Isso significaria que os feriados específicos mencionados estão cronologicamente fora de ordem, ou então, que tais feriados são totalmente artificiais, sendo meros artifícios literários, para ornar os ensinamentos de Jesus.
Seja como for, se seguirmos somente os feriados mencionados em Mateus, Marcos e Lucas, obteremos um ministério de apenas um ano para Jesus. Se hoje, com todos os recursos da mídia eletrônica, uma pessoa saísse pregando ou fazendo prodígios, ainda assim, levaria um tempo considerável para arrebatar seguidores, ou mesmo, simpatizantes que o quisessem acompanhar. Se imaginarmos as dificuldades de locomoção daquela época, é pouco provável que Jesus conseguisse em um ano apenas tantos feitos e contagiasse tanta gente até os dias de hoje. O mais aceitável, é que tenha pregado, pelo menos, de três a quatro anos.

 

A crucificação de Cristo

 Crucificação de Jesus Cristo Se considerarmos que Jesus nasceu entre 4 e 6 a.C., foi batizado no ano 26 d.C. e seu ministério prolongou-se por três anos, então o ano de sua crucificação seria o ano 29 d.C. O dia é mesmo mais fácil de ser fixado do que o ano, pois sabemos que foi numa sexta-feira, na época da páscoa. Sabemos que a páscoa é comemorada no primeiro domingo de lua cheia após o dia 21 de março. Usando o calendário perpétuo de lunações, consegue-se determinar o dia em que a lua nova surgiu no céu. No mês de março do ano 29 d.C., a lua nova apareceu no dia 3; somando-se quinze dias para saber em que dia começa a lua cheia, chega-se em 18 de março, portanto, antes de 21 de março. Já no mês de abril do mesmo ano, ela acontece no dia 02, somando-se os quinze dias para saber a lua cheia, chega-se, portanto, ao dia 17 de abril e esse dia foi um domingo, portanto, dia de comemoração da páscoa. Então, se Jesus foi crucificado no ano 29 d.C., teria sido no dia 15 de abril, sexta-feira.
Usando os mesmos métodos para o ano 30, considerando quatro anos de ministério, conclui-se que o domingo de páscoa foi no dia 09 de abril e a crucificação teria sido no dia 07 de abril, sexta-feira.


<< anterior próxima >>