ACON T ECEU
|| Home | Assuntos | Contato ||

Joana d'Arc - França 06/01/1412 Quarta-feira - 30/05/1431 Quarta-feira

Joanna D'Arc Era uma simples camponesa sem instrução, mas sabia que a França estava com dois reis. Dizia ter recebido dos céus uma dupla missão: expulsar os ingleses de Henrique VI, considerado usurpador do trono, e consagrar Carlos VII, o rei legítimo, na catedral de Reims. A ação de Joana d Arc marcou o fim da Guerra dos Cem anos (1337-1453). Não se tratava propriamente de uma guerra entre dois povos constituídos em nações nitidamente diferenciadas: muitos “ingleses” eram normandos, isto é, franceses que chegaram à Inglaterra com Guilherme, o Conquistador, em 1066; por outro lado, muitos “franceses” eram bretões, isto é, ingleses habitando há muito tempo o norte da França.
Quando em março de 1429, com apenas 17anos de idade, ela partiu de Orleans, no comando de um batalhão, fazia quase um século que o conflito havia começado, a pretexto de um problema de sucessão dinástica; e fazia mais de um século que o sistema feudal sofrera transformações: além de impostos e alvarás, agora obrigatórios, a vassalagem direta ao rei tinha contribuído para fortalecer o poder monárquico.

A calamitosa situação interna das duas nações (França-Inglaterra) levou-as a uma Joanna D'arc trégua de 35 anos (1378 a 1413), sem nenhum tratado. Na Inglaterra imperava a confusão: em 1381 eclodiu a revolta dos camponeses que desejavam abolir a servidão da gleba. Na França havia uma guerra civil entre os partidários de João Sem Medo, os Borguinhões, e os seguidores do filho do Duque de Orleans, os armagnacs. Para ter acesso ao trono, então ocupado pelo deficiente mental Carlos VI, João Sem Medo havia assassinado o Duque de Orleans em 1407, mas teve destino igual em 1419. Seu filho Filipe, o Bom, Duque de Borgonha, fez aliança com Henrique VI, logo que este rei inglês recomeçou a guerra com a França e venceu a batalha de Azincourt, em 1415.

O resultado da guerra forçou a França a concordar com o tratado de Troyes, assinado a 21 de maio de 1420. Henrique V foi reconhecido como regente e herdeiro do trono francês e, a 2 de junho do mesmo ano, casou-se com Catarina, filha de Carlos VI. Atingiu então o ponto alto de seu poder, que durou pouco, adoecendo gravemente, morreu a 31 de agosto de 1422. Seu filho de oito meses de idade foi proclamado rei da França e Inglaterra. Em sua louca decisão, Carlos VI deserdara o próprio filho, o delfim Carlos. Inconformado, este prosseguiu na guerra, enquanto se proclamava rei da França com o título de Carlos VII. Ainda uma vez, os resultados foram adversos.

Joanna d'Arc Foi então, que Joana d Arc juntou o que restava da combatividade francesa, para chefiar a contra-ofensiva. Saindo da aldeia, sitiou Orleans, finalmente abandonada pelos ingleses a 8 de maio de 1429. Essa vitória insuflou novo ânimo nos franceses, que fizeram da causa do rei uma causa nacional. A 17 de julho de 1429, Joana e Carlos VII se encontraram em Reims para a sagração do soberano, sob fervorosas preces de paz. Entretanto, em maio de 1430, Joana d Arc – até hoje símbolo de patriotismo – foi aprisionada pelos borguinhões e entregue ao inimigo inglês. Acusada de heresia religiosa, mas na verdade temida por sua força política, Joana morreu na fogueira numa praça de Rouen. Joana d'Arc foi declarada Santa em 09 de maio de 1920 e padroeira da França em 1922.




<< anterior próxima >>